• Andressa Gonçalves - Estudante de Design de

CINEnews | O Que Esperar de Vingadores: Guerra Infinita? (sem spoilers)


Dez anos. Esse foi o tempo que os fãs da Marvel esperaram por este momento. Até agora, todas as histórias individuais de cada herói, bem como as dos Vingadores, foram entrelaçadas de alguma forma, tendo como propósito principal, preparar o espectador para este filme.

O longa é ambientado aproximadamente três anos após os eventos de Capitão América: Guerra Civil segundo a atriz Scarlett Johansson, que interpreta a Viúva Negra, em entrevista concedida ao programa televisivo Entertainment Tonight. Conforme visto no final de Guerra Civil, cada herói está em uma parte do planeta e é justamente esse o tom que Guerra Infinita opta por seguir: mostrando as sagas separadas dos personagens. Eventualmente, alguns núcleos são formados e estes combatem suas próprias batalhas: como a união do Capitão América e sua equipe com o elenco de Pantera Negra, Visão e Wanda, por exemplo.

Para quem acompanha os filmes da produtora desde o princípio, o filme se mostra bem atrativo e “recompensador” já que constantemente faz referências a filmes anteriores da franquia. É muito legal poder ver informações importantes de outros longas finalmente reunidas e explicadas com mais profundidade, dá aquela sensação de dever cumprido, de quebra-cabeças de 10.000 peças finalmente montado. Aqui podemos ver também todos os heróis do universo Marvel enfrentando um vilão em comum: Thanos.

Falando nele, inclusive, temos a primeira diferença deste filme em relação a seus anteriores: o vilão é o grande protagonista, enquanto os “mocinhos” são os antagonistas. Você deve estar se perguntando “Mas, os heróis não são sempre os protagonistas?”, na verdade, não necessariamente. Protagonista é aquele que tem o papel principal em um filme, ao redor do qual o filme se desenrola. Já o antagonista não é necessariamente um vilão mas aquele/aquilo que tenta impedir o protagonista de atingir seu objetivo. Em Vingadores: Guerra Infinita, todos os heróis revezam seu espaço nos holofotes, enquanto Thanos não. Thanos é o único personagem constante no filme, que aparece o tempo todo, que é mencionado o tempo todo e que é guiado por um forte objetivo, logo, ele é o protagonista. Já dentre os Vingadores, conforme você poderá perceber assistindo ao longa, nenhum deles desempenha uma função mais importante que o outro ou aparece mais vezes, logo eles são os antagonistas, ou seja, o “obstáculo” que tenta prevenir Thanos de cumprir o seu propósito. Interessante, não?

Ainda sobre Thanos, a construção deste personagem é muito complexa e bem-feita, eis aqui um “vilão” com V maiúsculo, como há muito não se via nas salas de cinema. Apesar de ser perverso e louco, conseguimos também identificar nele humanidade; ao contrário de muitos “malvados”, ele possui emoções e toma suas decisões não baseado em instinto, mas porque tem uma crença e acredita que ela o guia a tomar decisões acertadas.

Dentre os heróis, um personagem que pode não aparentar mas tem grande relevância é Doutor Estranho. Apesar de não aparecer muitas vezes, suas falas, quando não cômicas, sempre passam sabedoria e parecem transmitir ao espectador uma espécie de informação implícita; tudo o que ele diz parece ter algum tipo de segundo significado oculto. O exemplo mais forte disso ocorreu no fim do longa, quando o personagem tomou uma decisão que deixou muitos espectadores na dúvida se esta foi a correta mas que, segundo dicas que o próprio Estranho dá em cenas anteriores, era a melhor a seguir.

Como já é de praxe no universo Marvel, temos aqui aquela mistura balanceada e agradável de momentos sérios com hilários; isso confere dinamismo à película e a torna muito mais agradável de assistir para espectadores que, talvez, não tenham acompanhado todos os filmes da companhia.

Contudo, nem tudo são flores e alguns pontos também deixaram a desejar. No início do longa havia inúmeras tramas separadas acontecendo simultaneamente, o que até então tudo bem. A questão é que elas se intercalam o tempo todo, a fim de dar continuidade ao filme e é aí que está o problema: não dão. Muitos personagens e situações se desenrolando ao mesmo tempo atrapalham a fluidez da obra, e causam estranheza no espectador, confusão, e até mesmo impaciência (como presenciei ao meu redor na sala de exibição), pois são tantas histórias jogadas ao público ao mesmo tempo, que eles não têm tempo de digeri-las e se prepararem para a próxima. Esse tipo de recurso é interessante desde que usado com moderação, o que infelizmente, não foi o caso aqui.

Outro ponto um pouco negativo foi a questão do Hulk, que não teve uma participação muito significativa no longa. Talvez isso tenha ocorrido também na HQ na qual o filme foi inspirado e essa seja a justificativa, talvez haja algum “motivo de força maior” que descobriremos no futuro, mas o fato é que, neste filme, o personagem ficou apagado e sem muitas aparições, o que foi realmente uma pena.

Algumas cenas sem muita utilidade aqui, outros pequenos erros de continuação ali (os quais não valem a pena a menção, para evitarmos spoilers), mas, no geral, o filme é muito bom e faz jus a todo o burburinho que vem sendo criado em seu nome nos últimos anos. Um roteiro bem construído e com uma ordem cronológica sensata, elenco de peso e efeitos especiais impecáveis. Um filme ousado, que difere bastante no quesito narrativa e condução dos personagens, quando comparado a seus anteriores. Ficam aqui duas dicas:

1) Prepare os lencinhos de papel, alguns choques estão previstos;

2) O filme contém apenas UMA cena pós-crédito, e esta, só passa depois de todos os créditos. Vale a pena esperar e conferir, já que ela dá dicas sobre o futuro do universo Marvel.

Emoção, ação e surpresas, isso é o que você pode esperar de Vingadores: Guerra Infinita. Já em exibição nos cinemas.

Este filme recebeu 3,5 de 5 pipocas:

“Foi a Marvel em sua melhor forma.”

Andressa Gonçalves é futura jornalista. Como adora cinema, sempre pesquisa sobre paletas de cores, trilhas sonoras, curiosidades, e tudo o que pode sobre este universo. Mantém também o projeto bilíngue Expedição Musical, que toda semana apresenta ao grande público, novos talentos do cenário musical. Contato: miss.gonc00@gmail.com

#Vingadores #GuerraInfinita #Cinema

Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil