Buscar
  • Leandro Borges - Fisioterapeuta

FISIOnews | Condromalácia patelar: também chamada de condropatia patelar ou síndrome femoropatelar


O joelho é uma articulação de grande complexidade, e tudo tem que estar em perfeita harmonia. Isso porque ele é composto de vários ligamentos, músculos, meniscos e cápsula articular, tudo isso para poder manter a articulação estável. Essa articulação é formada por 3 ossos, são eles: fêmur, tíbia e a patela. A patela se articula com a região anterior do fêmur (osso da coxa), através dela, aumenta-se a força de extensão do joelho.

Um problema comum no ser humano é a condromalácia patelar, que pode gerar uma dor anterior ao joelho, e alguns estalidos durante o movimento de flexão e extensão, edema, cansaço na perna, e em algumas pessoas podem relatar uma sensação de "areia" no joelho durante o movimento. Os sintomas normalmente aparecem ao ficar muito tempo sentado, após subir e descer escadas, ou até mesmo depois de correr ou andar por um longo tempo.

A condromalácia patelar, significa o amolecimento da cartilagem, podendo chegar a fissura, até mesmo levando a uma osteoartrose, degenerando a cartilagem, deixando o osso exposto. Isso acontece quando a cartilagem da patela exerce uma pressão de contra a cartilagem femoral.

O interessante é que a cartilagem patelar não é inervada, portanto a dor não vem da própria cartilagem, e sim das estruturas adjacentes, como é o caso do osso subcondral ( osso que vem atrás da cartilagem), cápsula e ligamentos.

Vejamos agora, a classificação em diferentes graus:

- Grau 1 : Amolecimento da cartilagem; - Grau 2 : Fragmentação ou fissura da cartilagem, com diâmetro menor que 1,3 cm - Grau 3 : Fragmentação ou fissura da cartilagem, com diâmetro maior que 1,3 cm - Grau 4 : Exposição do osso subcondral.

Acomete mais as mulheres do que os homens, pelo fato do quadril ser mais largo, deixando os joelhos valgos (para dentro), desalinhando o ângulo da patela.

Existem alguns fatores que podem favorecer ao aparecimento do problema, são eles:

- Trauma direto no joelho; - Desequilíbrio muscular; - Patela desalinhada; - Instabilidade patelar; - Obesidade; - Overtraining (excesso de treinamento).

A reabilitação na fisioterapia vai depender de uma boa avaliação. O grau de dor do paciente, vai ter que ser respeitado. O reequilíbrio muscular sempre será bem vindo, através do fortalecimento e alongamento. Já mobilização patelar e dos retináculos, podem estar dentro do protocolo de reabilitação, visando a estimulação de liquido sinovial e minimizar possíveis aderências. A bandagem funcional também pode ser um bom recurso quando bem utilizado, sendo para analgesia ou correção articular. Um treinamento proprioceptivo é necessário, utilizando disco ou plataforma de propriocepção. A crioterapia (uso do gelo) é um ótimo recurso para analgesia (alívio da dor). O uso da eletrotermofototerapia (ultrassom, laser, infravermelho e TENS), para aliviar a dor e diminuir o processo inflamatório, é uma conduta muito utilizada. É claro que vai depender da experiência de cada fisioterapeuta.

Leandro Borges é Fisioterapeuta e Instrutor de Pilates, Pós-graduado emTraumato-ortopedia com ênfase em Terapias Manuais.

Contato: 99550-9212 ( whatsapp )

Email: leandrorjfisio@hotmail.com

Blog do Facebook: Fisiot. Leandro Borges

#Fisioterapia #Condromalácia #patelar

40 visualizações
Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil