© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil

  • Josi̊ Sàldanha - Numeróloga Cabalista

HOLÍSTICOnews | Por que estamos aqui na terra?


Essa é uma pergunta antiga e ela tem desdobramentos: por que estamos aqui? O que viemos fazer nesse planeta? Por que e para que nascemos? Por que eu nasci nesse País? Todos nós, em algum momento da vida, já paramos para nos indagar sobre esse assunto.

Essas perguntas existem porque existe resposta e nosso inconsciente, de vez em quando, nos lembra que “não estamos aqui a passeio”, como se diz popularmente. Quando não estamos conectados com nosso propósito de vida, quando não estamos conscientes da nossa missão aqui na terra (que também pode ser chamada de vocação), essas perguntas, geralmente, vêm acompanhadas de um “vazio na alma”, algo que nem sabemos definir ao certo, mas que sentimos muito forte dentro de nós.

Antes de nascermos fazemos alguns “acordos” com os nossos mestres, no mundo espiritual, sobre como poderemos evoluir melhor; o que precisaremos vivenciar, aprender; qual o melhor lugar na terra para que isso aconteça; quais os melhores trabalhos em que poderemos nos desenvolver moral, material e espiritualmente; as pessoas que iremos conhecer; qual signo nos trará os melhores desafios a serem vencidos e os pontos fortes a serem potencializados, qual a melhor família para recebermos os aprendizados que precisamos etc. Tudo isso é cuidadosamente pensado e calculado antes do nosso nascimento. Mas, como existe a Lei do Livre-arbítrio, ao nascermos, tudo isso é “apagado” da nossa mente consciente, ficando apenas alguns “resquícios de memória” sobre esses fatos, bem no fundo da nossa mente inconsciente.

Ao longo da nossa vida, várias “pistas” nos vão sendo dadas, várias situações saltam à nossa frente, conhecemos algumas pessoas “especiais”, temos alguns sonhos “reveladores”, tudo isso para nos levar ao caminho da nossa missão. Nada é por acaso. Nem mesmo as “tentações”. Aliás, as tentações nos sobrevêm justamente para que as vençamos e saiamos melhores. O problema é que, muitas vezes, ao invés de vencermos as tentações, sucumbimos a elas e andamos para trás, como naquele jogo em que avançamos ou retrocedemos pelas casas.

Dentro dessa missão primordial e coletiva, que é a evolução, temos as nossas “missões pessoais”, de acordo com o que mais precisamos aprender. A missão de cada pessoa está intimamente ligada aos aprendizados pendentes que ela traz em suas lições cármicas e aos resgates que precisa fazer das suas dívidas cármicas.

Por exemplo: uma pessoa que precisa aprender a lidar com o dinheiro e agir com honestidade, ao longo de sua vida, até que aprenda essa lição, se deparará com inúmeras oportunidades e mesmo facilidades, para agir fraudulentamente; uma pessoa que precise aprender a valorizar a vida, será exposta a situações que a levem a agir de forma contrária, sucumbindo aos vícios, por exemplo; uma pessoa que precisa aprender a ser cordial e não humilhar os outros, será exposta, por exemplo, a cargos de chefia onde poderá exercer todo autoritarismo latente dentro de si; e assim por diante. Como eu já disse, nada é por acaso.

Através da Numerologia Cabalística, dentre tantas outras informações, podemos saber qual é a nossa missão de vida, que é a nossa vocação: o que viemos fazer aqui, quais as nossas maiores aptidões e onde e como poderemos exercer melhor essa missão. É muito comum que a maioria de nós só venha a ter esse conhecimento depois de ter sofrido muito na vida, e isso também não é por acaso. Tudo está harmoniosamente interligado.

Portanto, todos temos a grande missão que é evoluir sempre, cada vez mais e também temos as nossas vocações, que são as nossas aptidões, as formas como podemos “botar as mãos na massa” rumo a essa evolução.

Quando estamos desconectados dessa nossa vocação, vem o vazio. Por exemplo: quando escolhemos uma profissão apenas pelo dinheiro que ela nos proporciona (ou por total falta de opção para sobreviver), não tendo este trabalho nada a vez conosco, é muito comum que até fiquemos doentes! A pessoa passa a detestar a segunda-feira e viver em função da chegada da sexta-feira (isso quando trabalha de segunda a sexta). A vida se arrasta e tudo o que a pessoa mais quer é se ver livre daquele trabalho, só que não pode, pois precisa dele pra viver, mas não vive, sobrevive. Isso me faz lembrar de uma charge da internet, onde há a seguinte pergunta: “será que estou vivendo ou apenas existindo?” A pessoa se vê perdida, desanimada, se arrastando pelos dias, torcendo por feriados, recessos etc. Isso acontece quando não amamos o que fazemos, pois o que fazemos não é que deveria ser feito! Quando não estamos no lugar certo, tudo está em desarmonia dentro de nós. E daí vem a pergunta: “por que eu nasci? O que estou fazendo aqui?” E o quadro só piora: “Detesto o mundo, os seres humanos, a humanidade toda!” ou “Detesto o Brasil, não suporto viver aqui...”

Vamos acabar com isso de vez? O autoconhecimento é uma chave preciosa e infalível para dissipar todas as insatisfações da nossa alma, nos elevar a um outro nível de consciência e entendimento, nos mostrar uma razão para viver e responder, definitivamente, o que viemos fazer aqui!

Um grande abraço!

Namastê!

Josi̊ Sàldanha é Numeróloga Cabalista, formada pela ABNC – Academia Brasileira de Numerologia Cabalística, Terapeuta Psicopedagoga Holística, em várias especialidades, afiliada à ABRATH – Associação Brasileira de Terapeutas Holísticos, Pedagoga formada pela UERJ, Teóloga especialista em Ciências da Religião pela UNESA, Sacerdotisa há 15 anos, com dois livros publicados na área de Teologia.

Telefones Oi: (21) 3357-7399 e 98464-4568

Whatsapp e celular Claro: 99232-4887

www.josisaldanha.com.br

contato@josisaldanha.com.br

www.facebook.com/josisaldanhanumerologa

#autoconhecimento #numerologia #tentações #vocação #missãodevida