• Andressa Gonçalves - Estudante de Design de

CINEnews | Entre cores e risadas: o que são paletas de cores e breve avaliação sobre "Pai em do


E aí cinéfilos? Como estão vocês? É muito bom vê-los por aqui esta semana.

Hoje falaremos sobre um assunto pouco observado, mas que cada vez mais ganha importância nos filmes que assistimos: a paleta de cores. É ela a responsável por dar vida ao filme e por transmitir corretamente todos os sentimentos contidos no roteiro e que o diretor quer que estejam presentes na película.

Tudo começou com George Méliès (1861-1938), por muitos considerado “o pai dos efeitos especiais”. Como pode ser visto no livro “A Invenção de Hugo Cabret” e no filme homônimo, George foi um ilusionista de sucesso que depois de ter contato com um protótipo de cinematógrafo, encantou-se com a ideia de reproduzir pessoas em movimento; isso fez dele um precursor do cinema como conhecemos hoje. Também foi ele o primeiro cineasta a dar cor a seus filmes, pintando quadro por quadro à mão (em uma técnica conhecida como frame-by-frame).

Ficaram curiosos quanto ao seu trabalho? Então confira abaixo sua obra mais famosa, chamada “Viagem a Lua” com aproximadamente 15 minutos de duração:

Desde Méliès, o significado das cores evoluiu muito no cinema. E, o que antes era apenas questão de estética, tornou-se uma poderosa ferramenta para transmitir emoções, indicar características comportamentais dos personagens e, até mesmo, envolver o espectador com mais profundidade na cena em questão.

Um famoso exemplo da importância na hora de escolher as cores certas é o do filme Cisne Negro. Quem assistiu ao longa, pode ter percebido que a personagem principal começa o filme usando roupas em tons pastéis e claros. Ao passo em que ela vai mudando seu comportamento e se transformando no “cisne negro”, suas roupas vão adquirindo tonalidades diferentes e normalmente mais escuras, como tons de cinza e até mesmo preto.

De acordo com o site Geekness, ainda que o significado mude de acordo com o diretor do filme, o filme em questão e a equipe de arte, geralmente, as cores representam:

Azul – Representa profundidade de sentimento e é uma cor concêntrica, passiva, associativa, perceptiva e unificadora. Seus aspectos afetivos são tranquilidade, satisfação, ternura, afeto e amor.

Verde – Representa a constância da vontade, também uma cor concêntrica, passiva, defensiva, autônoma, cautelosa, possessiva, imutável. Seus aspectos afetivos são a persistência, autoafirmação, liderança e autoestima.

Vermelho – Representa a força de vontade, autonomia, competitividade, eficiência. Transmite excitabilidade, autoridade e sexualidade.

Laranja – Cor quente, estimula o apetite.

Amarelo – Representa a espontaneidade e é excêntrica, ativa, ambiciosa e expansiva. Transmite expectativa, originalidade e segurança.

Cinza – Representa neutralidade, é separador e imparcial. Transmite isolamento e ausência e de compromisso.

Café – Representa a receptividade sensorial passiva. Transmite sabedoria, dependência, segurança e falta de adaptação.

Preto – Representa o limite absoluto. As sensações transmitidas são abandono, renuncia, negação, extremismo, rejeição, extinção e temor.

Roxo – Representa a realização dos desejos. Transmite intuição, sensibilidade, imaturidade, afeição, magia.

Rosa – Representa a dependência.

O que fica claro é que não há certo ou errado na hora de escolher as cores, mas, obviamente, algumas são mais efetivas em proporcionar certas sensações do que outras.

Alguns diretores como Quentin Tarantino, preferem tons mais quentes e vívidos, para acompanhar a intensidade de suas obras. Outros como David Fincher em O Clube de Luta (1999) e em Os Homens que Não Amavam As Mulheres (2011) utilizam-se principalmente de tons verde e cores escuras para transmitir um sentimento de suspense, melancolia, solidão e até mesmo medo.

Já em filmes que parecem “vindos de sonhos”, utopias ou que querem ter um toque de fantasia, é comum ver a utilização de muitas cores quentes juntas em uma mesma cena. Observe na imagem abaixo a riquíssima paleta de cores dos filmes O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001) e Ela (2014).

Contudo, em filmes completamente fantasiosos, as tonalidades escolhidas tendem a mudar mais uma vez, dando predominância geralmente ao marrom e ao verde, como nos exemplos abaixo na paleta de Onde Vivem Os Monstros (2009) e O Labirinto do Fauno (2006).

E, se você assim como eu ficou fissurado(a) no assunto, recomendo a leitura deste artigo, do site Papo de Homem, que explica em detalhes o processo de coloração de um filme e todos os responsáveis por ele: https://papodehomem.com.br/o-processo-criativo-da-cor-no-cinema/

Além deste vídeo de 5 minutos que, com trechos de filmes, explica um pouquinho da escolha de cores nas cenas exibidas, vale a pena conferir:

Para quem quiser acompanhar também as paletas dos filmes mais recentes, há ainda no Twitter a conta CINEMA PALETTES (@CINEMAPALETTES) e o site Movies In Color (http://moviesincolor.com/page/2) sempre publicando, em inglês, as maiores curiosidades sobre este universo curioso. Pai em Dose Dupla 2 E, para finalizar o post desta semana, vamos falar um pouquinho sobre a nova comédia que chegou aos cinemas na quinta-feira, 23/11: Pai Em Dose Dupla 2.

Como o primeiro da série, o filme garante boas risadas enquanto aborda temas importantes como famílias modernas e a importância do convívio familiar. Também é mostrado de forma bastante cômica, possíveis conflitos que surgem nesse meio e a importância de se respeitar as diferenças.

Sobre a paleta de cores (claro que eu não poderia deixar essa parte de fora, não é?), o filme utiliza-se principalmente de verde e vermelho, cores tradicionais do Natal americano, para reforçar no espectador a ideia de que “Já é Natal!” (sim, escrevendo isso, também lembrei do jingle daquela conhecida loja de roupas...). Um conselho para aqueles que não gostam de perder nada é que após os créditos, há uma cena extra.

Apesar de ter um filme anterior, Pai Em Dose Dupla 2 tem enredo completamente independente, leve e descontraído, ideal para assistir com toda a família.

Este filme ganhou 3/5 pipocas:

E é isso pessoal, nos despedimos por aqui, até a próxima!

Ah, e não esqueçam de responder a nossa enquete: Você prefere filmes dublados ou legendados? Só clicar no link em parênteses (https://enquete.fbapp.io/voce-prefere-filmes-dublados-ou-legendados/jDkyLEQS)

Andressa Gonçalves é estudante de Design de Interiores e futura jornalista. Como adora cinema, sempre pesquisa sobre paletas de cores, curiosidades, e tudo o que pode sobre este universo! Adora colocar suas incríveis descobertas em palavras. Contato: miss.gonc00@gmail.com Fontes de Apoio: http://geekness.com.br/paletas-de-cores-do-cinema-e-suas-sensacoes/, https://www.shutterstock.com/pt/blog/magia-audiovisual-4-maneiras-nas-quais-a-paleta-de-cores-pode-transformar-seu-trabalho, http://www.alemdovisivel.com/blog/2016/a-cor-e-a-narrativa-dentro-dos-filmes, http://www.garotasgeeks.com/cinema-palettes-conheca-paleta-de-cores-de-grandes-producoes-do-cinema/, http://sereia-de-venus.blogspot.com.br/2015/06/Filme-o-labirinto-do-fauno.html, https://br.pinterest.com/pin/418342252873523635/, http://www.cantodosclassicos.com/a-psicologia-das-cores-no-cinema-em-16-filmes/

#Cinema #PaletadeCores #PaiemDoseDupla

Clique na imagem para baixar aplicativo da Rádio para celular
image1.jpg
Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2020 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil