© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil

FISIOnews | Os problemas que podem surgir com o uso do salto alto

Hoje estarei falando sobre o sapato de salto alto, muito utilizado pelas mulheres, deixando elas muito mais elegantes. Na verdade tudo sem seu preço, a beleza nos pés que é indiscutível pode acarretar alguns problemas.

 

Nosso pé é composto por 26 ossos, eles são a base de todo o corpo, agora podemos imaginar todo o seu peso corporal em cima desses pequenos ossos,  principalmente na região do antepé, responsáveis por correr, caminhar e saltar.

 

Ao caminhar o primeiro contato com o chão é com o calcanhar, passando pela borda lateral do pé, chegando ao meio, indo para frente do pé até chegar ao hálux (dedão do pé) e impulsionar seu corpo do chão. No caso do salto alto, essas etapas são puladas, já que o peso é jogado todo para frente.

 

Os nossos ligamentos dos pés sofrem sobrecarga, já que eles são responsáveis pelos estabilidade, e nesse momento eles estão em intenso trabalho para poder segurar todo o peso do corpo nas pontas dos pés. O risco de uma entorse de tornozelo é grande, já que o pé fica mais vulnerável a virar.

 

O tendão de Aquiles é outro que sofre com o encurtamento da musculatura, ele mantém os pés em flexão plantar, como se fosse uma bailarina, criando uma grande tensão, podendo acarretar uma tendinite, consequentemente sentir dor. Além disso, esse encurtamento do tendão de Aquiles poderá alterar o posicionamento do calcâneo, tracionando a planta do pé, dando origem a um probleminha chamado fascite plantar (inflamação na planta do pé).

 

O joanete é comum, já que existe um aumento de pressão no antepé, assim os dedos também irão sofrer se desviando, principalmente o hálux (dedão do pé) e o quinto dedo do pé, o que poderá levar ao joanete e aos calos. Os dedos poderão ficar em forma de garra. Se for bico fino o problema ainda é maior, pois suas unhas também poderão ter problemas, devido a pressão.

 

Ao colocar o sapato alto, nosso corpo muda o centro de gravidade projetando ainda mais para frente, como consequência, os ombros irão para trás, a cabeça irá para frente, aumenta a lordose cervical e lombar, os discos intervertebrais poderão sofrer degenerações, e futuramente com esse desgastes as facetas articulares irão sofrer uma sobrecarga e consequente artrose, com bico de papagaio, que nada mais é que um crescimento ósseo, podendo comprimir estruturas nervosas.

 

A dica é procurar evitar salto alto principalmente de bico fino, somente em ocasiões especiais, e sempre procurando cuidar dos seus pés após longos períodos. Faça uma automassagem com uma bolinha no pé ou peça para alguém fazer por você, o que é até mais agradável. Não deixe a sua panturrilha de lado, alongue sempre que possível. Chegando em casa, descanse as pernas, deixando-as  literalmente para o alto, melhorando assim o retorno venoso. O bico do sapato deverá sempre confortável, evite os de bicos finos, eles apertam os dedos. Não é recomendável utilizar saltos maiores que 5 cm, assim o peso do corpo é melhor distribuído, o uso de salto com plataforma é interessante, já que dá uma impressão de ser mais alta. Uma dica boa é colocar uma palmilha de silicone na região do antepé. O salto é melhor mais grosso, evitando entorse de tornozelo e queda.

 

Já sabemos os problemas que o salto alto pode acarretar. Use com menos frequência possível!

Aproveite as dicas!

 

Leandro Borges é Fisioterapeuta e Instrutor de Pilates, Pós-graduado em Traumato-ortopedia com ênfase em Terapias Manuais.

Contato: 99550-9212 ( whatsapp )

Email: leandrorjfisio@hotmail.com

Blog do Facebook: Fisiot. Leandro Borges

Compartilhar
Twitter
Please reload

ELIANE-site.jpg