© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil

SERVSOCIALnews | A mulher na família e suas múltiplas funções

 Para encerrar o mês das mulheres em que comemoramos o dia internacional da mulher, decidi nessa última quarta feira escrever sobre a mulher e suas múltiplas funções na família, cabe nesse contexto uma reflexão que todos já sabemos e de como nós mulheres avançamos, não cabe mais em nossa história discursos de machismo ou de que somos o sexo frágil, isso já é passado e o passado já vem condenando muitos machistas e preconceituosos por aí, não é verdade?

 

Vamos de encontro a um mundo onde exercemos muitas funções principalmente na família, o cuidar o amar o aconselhar estão de fato incluídos na esfera feminina e somos nós mulheres que podemos mudar esse cenário através da educação dada aos nossos filhos, criança consegue se adaptar a cultura que vivemos e ao modo que seguimos o tratamento com os demais, se você ensina ao seu filho que ele deve sim ajudar nos afazeres da casa, colaborando e incentivando o mesmo a brincar com qualquer brinquedo, isso fará dele um adulto livre de preconceitos, ele terá a consciência que de pode cuidar dos seus filhos ou cuidar de uma casa de forma igualitária a qualquer mulher, isso é colaboração, isso é conscientização, moramos todos na mesma casa, comemos da mesma comida, temos o mesmo filho, não existe motivo para a mulher ser a única com essas funções.

 

Família é lugar de divisão, de educação, bons costumes, é na família que ensinamos as crianças a se tornarem adultos sabendo administrar diferentes funções, não deve ser apenas do sexo feminino essas funções, vamos expandir para os nossos filhos o sentido da palavra cooperação, gratidão e motivação.

 

O grande obstáculo a ser percorrido hoje é a capacidade do homem de substituir a mulher na sua ausência devido ao tempo disponibilizado no mercado de trabalho, o homem não assume a paternidade com objetivo de educar, existe um abismo e um medo muito grande em relação aos homens na admissão desse papel.

 

Quero deixar claro que não estou traçando um discurso feminista, pois existem sim homens que desempenham tal função de forma magnífica, mas que fique claro também que ainda é uma minoria, agora mulheres deixe os pais terem autonomia, permita a eles essa decisão e essa divisão.

 

Assumir uma família de certa forma é de extrema responsabilidade, porém criar rumos e seguir em frente nem sempre é fácil, se tivermos vontade de dividir funções de forma igualitária, os caminhos serão leves para ambos, vamos refletir sobre nossa postura, aquele que começa a mudar suas atitudes na família tem grandes possibilidades de mudar o meio e a sociedade que vive e para melhor.

 

Paciência, serenidade e humanidade, vamos caminhar minha gente e é pra frente que se anda.

 

 Meu nome é Benilce, sou Assistente Social pela Universidade Castelo Branco, Especialista em terapia de família pela Universidade Candido Mendes e Historiadora pelas Faculdades Integradas Simonsen.

Meu contato: valeubere@hotmail.com

Compartilhar
Twitter
Please reload

ELIANE-site.jpg