© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil

FISIOnews | Cervicobraquialgia x Mobilização Neural

Vamos conhecer primeiro um pouco da nossa coluna cervical. Ela é constituída por uma série de ossos, que são chamados de vértebras, que são no total de sete, ela tem um formato de C invertido, e é muito mais móvel do que as regiões torácica ou lombar. Entre cada vértebra na coluna cervical existem discos que atuam absorvendo choque, podendo realizar também algum movimento entre os corpos vertebrais. Existem ligamentos entre cada corpo vertebral, o que possibilita estabilidade no pescoço. Os músculos que se conectam aos ossos da coluna são importantes para manter a postura e para realizar os movimentos. Entre as Vértebras exista o forame intervertebral que é uma abertura formada pela articulação de duas incisuras vertebrais. Através dele passam os nervos espinhais, que levam sinais entre a medula espinhal e o resto do corpo.

 

Quantas vezes você ouviu um(a) amigo(a) falar que estava sentindo dor no pescoço até o braço? 
 

Cervicobraquialgia- Esse nome feio, nada mais é que uma dor na coluna cervical (pescoço) que se irradia para o braço, que acontece devido a compressão de raiz nervosa.

 

Os sintomas são:
•    Dor forte e constante na coluna cervical, braço, antebraço, mão e dedos,
•    Dormência,
•    Ardência,
•    Fadiga muscular,
•    Formigamento,
•    Parestesia (alteração da sensibilidade).

 

As afecções em que haja compressão nervosa (hérnias de disco), processos degenerativos naturais (artrose), metabólicos (osteoporose), posturais (escolioses), geram uma inflamação na região do pescoço acometendo um determinado nervo.

 

Os nervos periféricos são frequentemente traumatizados, resultando em lesões que trazem como consequência perda ou redução da sensibilidade e da motricidade no território inervado pelos mesmos.

 

Algumas vezes, o pescoço fica duro nos movimentos, o ombro e o braço podem ter limitações importantes de movimento, podendo haver dificuldade para achar uma posição confortável para dormir. A pessoa adota uma posição com o cotovelo dobrado para proteção. 

 

A cervicobraquialgia requer um tratamento personalizado, entre as opções  existe a Mobilização Neural, que vem sido bastante utilizada entre alguns fisioterapeutas.

 

A avaliação do envolvimento neural dos membros superiores é feita por meio de alguns testes. São destinados a aplicar estresse sobre as estruturas neurológicas do membro superior. O tecido neurológico é diferenciado quando se é adicionado um componente sensibilizador, como, por exemplo, pedir ao paciente que flexione o pescoço para o lado contralateral ao lado testado. Os testes são considerados positivos quando o indivíduo apresenta diminuição da amplitude de movimento.

 

A produção de dor ou uma resposta patológica pode ser resultado de um tecido neural sensibilizado, que não é capaz de se adaptar. Essa resposta é o mecanismo de proteção do sistema nervoso como uma atividade muscular reflexa, e pode ser percebida pelo fisioterapeuta como uma resistência ao movimento.

 

A Mobilização Neural é uma técnica de terapia manual dirigida ao tecido neural com finalidade de restaurar o movimento e a elasticidade desse tecido, e promover o retorno as suas funções normais. Tem como objetivo avaliar e tratar as alterações relacionadas aos nervos, restabelecer a capacidade física dos tecidos neurais em tolerar movimentos que alongam o trajeto neural correspondente. São manobras oscilatórias lentas e consecutivas que oferecem suave resistência ao movimento. O tratamento deve partir da posição tolerada pelo paciente estabelecida durante o teste.  Ela tem dado excelentes resultados no tratamento da cervicobraquialgia, com alívio dos sintomas, e o resultado pode ser visto já na primeira sessão. 

Com a utilização da Mobilização Neural, o paciente terá os seguintes benefícios:
• melhora da dor,
• melhora da dormência, 
• melhora do formigamento, 
• melhora da força muscular, 
• melhora da sensibilidade,
• melhor qualidade de vida.

 

Portanto, a mobilização neural é considerada como uma ótima opção de terapia manual por se tratar de uma técnica de fácil aplicação e pelo excelente resultado, ela pode ser acrescentada ao tratamento fisioterapêutico.

 

Leandro Borges é Fisioterapeuta e Instrutor de Pilates, Pós-graduado em Traumato-ortopedia com ênfase em Terapias Manuais.
Contato: 99550-9212 ( whatsapp )
Email: leandrorjfisio@hotmail.com
Blog do Facebook: Fisiot. Leandro Borges

Compartilhar
Twitter
Please reload

ELIANE-site.jpg