© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil

SAÚDEnews | Toxoplasmose: os verdadeiros vilões!

A toxoplasmose é uma doença popularmente chamada doença do gato. Um grave problema à saúde humana para pessoas com defesas imunológicas diminuídas, como transplantados, portadores de AIDS/HIV e doenças crônicas, onde pode ser uma doença fatal. Devido à semelhança dos sintomas, deve ser realizado o diagnóstico diferencial com outras doenças como a mononucleose infecciosa, citomegalovirose, rubéola, listeriose, hepatite, fase aguda da infecção pelo HIV, enteroviroses, etc.


É importante ressaltar que o simples contato com um animal infectado, com seu pelo ou até mesmo com suas fezes “frescas” não são suficientes para contrair a doença. Apenas 1% da população felina participa da disseminação da toxoplasmose. Eles contraem o parasita quando caçam e se alimentam de outros animais infectados, como ratos e pássaros. Se isso acontece, durante um curto período de tempo os “ovos” da toxoplasmose (chamados de oocistos) serão expelidos junto com as fezes do gato. Esses oocistos só podem infectar uma pessoa ou outro animal se eles estiverem “esporulados”, ou seja, ficarem expostos a temperaturas acima de 36°C por mais de dois dias. Gatos e outros felinos, são os hospedeiros definitivos do Toxoplasma gondii, e estão relacionados com a produção e perpetuação da doença, uma vez que somente neles ocorre a reprodução sexuada dos parasitos.  Outros animais se infectam alimentando-se de pastagens contaminadas pelas fezes.Os felinos jovens, não imunes, infectam-se por meio da ingestão de presas contendo cistos nos tecidos ou ao ingerirem o agente causador da infecção de ambientes contaminados. A infecção de gatos por meio da ingestão de cistos é muito importante, principalmente para os gatos de rua ou gatos domésticos que possuam hábitos de caçar para se alimentar. 

 

Ter um gato em casa não necessariamente fornece um risco de contrair a toxoplasmose, se medidas preventivas forem tomadas como não os alimentar com carnes cruas ou malcozidas, remover suas fezes diariamente e impedi-los de caçar. As moscas e as baratas também devem ser controladas.  
Vários animais domésticos e de produção também podem ser transmissores suínos, caprinos, aves, animais silvestres, etc.


O contágio indireto (homem) acontece devido à ingestão de carne com o agente transmissor, exemplo a carne, quando consumida malpassada. Ele também pode ocorrer diretamente, por meio da inalação do agente transmissor, presente no solo, alimentos, fezes, transfusão de sangue e transplante de pacientes contaminados. 

 

A toxoplasmose normalmente não provoca sintomas na maioria das pessoas, mas podem ocorrer:
• Ínguas pelo corpo, principalmente na região do pescoço;
• Febre;
• Dor muscular e nas articulações;
• Cansaço;
• Dor de cabeça e de garganta;
• Manchas vermelhas pelo corpo;
• Dificuldade para enxergar.Os principais sintomas da toxoplasmose ocular são diminuição da visão, vermelhidão e dor no olho, e visão com manchas pretas

 

A transmissão também pode ocorrer quando a gestante tem ou teve a doença, podendo transmiti-la ao feto e pode provocar danos cerebrais e cegueira. Durante a gestação, a mulher deve fazer exames para detectar a doença e tratá-la, caso seja constatada.A toxoplasmose na gravidez provoca a toxoplasmose congênita, que é quando o bebê é infectado por essa doença ainda no útero da mãe. 

 

A toxoplasmose na gravidez pode levar a consequências graves, como:
• Malformações do feto;
• Baixo peso ao nascer;
• Parto prematuro;
• Aborto;
• Morte do bebê ao nascer.

 

O recém-nascido com toxoplasmose congênita pode apresentar sintomas graves, que incluem:
• Estrabismo(um dos olhos não fica na direção correta);
• Inflamação dos olhos que evolui para a cegueira;
• Icterícia intensa, que é a pele e os olhos amarelados;
• Aumento do fígado;
• Pneumonia;
• Anemia;
• Inflamação do coração;
• Convulsões;
• Surdez;
• Retardo mental.

 

A gravidade da consequência da toxoplasmose para o bebê depende da época da gravidez em que houve o contágio e do início precoce do tratamento.

A maioria dos casos de toxoplasmose aguda na gestante não apresenta sintomas. O grande impacto da toxoplasmose humana é o acometimento fetal, durante a gestação, cujas repercussões clínicas são extremamente graves com quadros principalmente neurológicos e oculares. 

 

Cuidados:
• Leve seu gato regularmente ao médico veterinário; mantenha-o sempre bem alimentado com ração comercial: isto reduz a chance de ele caçar e se infectar com a toxoplasmose;
• Nunca dê carne crua para seu gato;
• Leve-o ao veterinário se ele apresentar diarreia;
• Evite que seu gato faça passeios fora de casa;
• Mantenha sempre uma bandeja com areia sanitária para seu gato fazer as necessidades e remova os dejetos diariamente, sempre com o auxílio de luvas e uma pá;
• Higienize a bandeja sanitária no mínimo uma vez por semana.
• Você não pega toxoplasmose ao acariciar um gato.
• Não abandone seu gato por medo de contrair a doença.
• Você só pega toxoplasmose se ingerir terra ou alimentos contaminados com fezes de gatos, mas bons hábitos de higiene e limpeza no preparo dos alimentos evitam isso
• Cães, pombos e mordidas de gatos ou outros animais NÃO transmitem a toxoplasmose.
• Não existe vacina contra a toxoplasmose.
• Você não precisa se desfazer de seu gato se estiver grávida. Manter bons hábitos de higiene.

 

Os cistos sobrevivem algum tempo em temperaturas frias, mas são, em geral, mortos pelo congelamento. O aquecimento acima de 66ºC, mata os cistos. 

 

Cuidados durante a gestação:

A toxoplasmose congênita é uma doença infecciosa que resulta da transferência transplacentária do Toxoplasma gondii para o concepto. A triagem da doença na gestante deve ser realizada por meio da detecção de anticorpos para Toxoplasmose, através de exame de sangue solicitado o mais precocemente possível no pré-natal. Na presença de infecção aguda materna, deverá ser investigada a possibilidade de infecção fetal. É importante que os testes sorológicos para pesquisa de anticorpos específicos sejam realizados na primeira consulta de pré-natal, de acordo com rotina estabelecida pelo Ministério da Saúde. Repetindo o exame em caso de necessidade.

 

A presença de anticorpos específicos nas gestantes deve ser tratada e os seus bebês acompanhados até descartar a infecção congênita.Todas as gestantes com diagnóstico confirmado ou suspeito, devem ter seus filhos avaliados ainda na maternidade para se proceder a confirmação da infecção congênita e instituir o tratamento. O acompanhamento não deve ser interrompido antes da negativação dos anticorpos e alta dada pelo médico.

 

Se você está esperando um bebê, a toxoplasmose pode ser evitada com algumas medidas simples: 
• Deixe outra pessoa limpar a caixa de areia. As mãos devem ser lavadas em seguida; 
• A caixa de areia deve ser limpa ao menos uma vez por dia. Os oocistos da toxoplasmose precisam ficar fora do corpo do gato por dois dias para que se tornem infectantes, portanto, se a caixa de areia for limpa com frequência, o risco de contaminação se torna praticamente impossível; 
• Se outra pessoa não puder limpar a caixa de areia, faça-o diariamente e utilize luvas. Lave as mãos imediatamente depois; 
• Proteger as caixas de areia em áreas de recreação infantil para que gatos não defequem nelas.
• Ingerir apenas água tratada ou fervida
• Lavar as mãos e a superfície de preparação (tábuas e facas) após manusear carne crua.
• Não experimentar carne crua. 
• Lavar bem as frutas e verduras, esfregando em água corrente. 
• Proteger os alimentos de moscas e baratas.
• Ferver e pasteurizar leite de cabra antes do consumo. 
• Lavar as mãos após mexer na terra ou areia. Evitar o contato com gatos desconhecidos e lavar bem as mãos se tocar em animais que não conhece.
• Pessoas que têm animais domésticos devem levá-los ao veterinário para fazer exames queidentifiquem a presença da toxoplasmose, evitando a transmissão dessa doença para humanos
• Ponha um pequeno chocalho no pescoço no animal para que ele não consiga “caçar”; mantenha seu gato bem alimentado para que ele não precise caçar para comer; 
• os cães também podem transmitir toxoplasmose ao sujarem o pelo no solo onde haja fezes de gato;
• evite acariciar cães que andem soltos;
• controle ratos e insetos como moscas, baratas e formigas, descartando corretamente o lixo doméstico e os dejetos das criações de animais;
• Cozinhe bem qualquer alimento antes de comer, especialmente carnes; 
• Lave bem os utensílios de cozinha que estiveram em contato com carne crua; 
• Mantenha os seus gatos dentro de casa para diminuir as chances de contaminação, eles contraem o parasita ao caçar e comer outros animais; 
• Use luvas ao mexer no jardim, pois a terra pode estar com contaminada com oocistos; 
• Lave as suas mãos depois de cozinhar, antes de comer e depois de acariciar o seu gato  
• Triagem neonatal 
• Investigar recém-nascidos de mães soropositivas para HIV 

Nos animais:
Os sintomas mais frequentes da doença no gato incluem:
•    Emagrecimento, fraqueza, apatia, febre alta, vômitos e diarreia;
•    Sintomas oculares (secreção, fotofobia, pupila dilatada, entre outros);
•    Distúrbios respiratórios;
•    Convulsões, tremores, fraqueza muscular, paralisia e outros sintomas neurológicos


A toxoplasmose tem cura e o seu tratamento é feito com o uso de antibióticos, que variam de acordo com o tipo e a gravidade da infecção. Os tratamentos mais demorados são indicados nos casos de gravidez, toxoplasmose congênita e indivíduos com deficiência do sistema imunológico, como pessoas com HIV/AIDS.

 

O tratamento da toxoplasmose deve ser iniciado logo que a doença seja identificada.Informe-se com o seu médico antes de tomar qualquer decisão precipitada, não há motivo para abandonar ou doar o seu gato. Uma boa higiene é a melhor medida para prevenir a toxoplasmose: você estará protegendo não apenas a vida da sua futura família, mas também a de seus animais de estimação.

 

 

Compartilhar
Twitter
Please reload

ELIANE-site.jpg