• Alexandre Madruga

Operação de fiscalização do Procon Estadual autua supermercado em Bangu


Fiscais descartaram 26kg de produtos impróprios ao consumo em toda operação, que atingiu outros estabelecimentos


O Procon Estadual do Rio de Janeiro, autarquia vinculada à Secretaria de Estado Desenvolvimento Econômico, realizou nesta quinta-feira (21/05) uma ação de fiscalização em oito estabelecimentos nas Zonas Norte e Oeste do Rio para apurar as denúncias. Das oito filiais de supermercados fiscalizadas, cinco foram autuadas e 26kg de produtos impróprios ao consumo foram descartados. A ação é uma sequência das operações que a fiscalização vem realizando em supermercados para apurar denúncias de aumento abusivo de preços de produtos alimentícios como arroz, feijão e ovos, e de produtos de higiene como álcool gel e álcool 70º líquido. Além disso, os fiscais também verificam eventuais irregularidades na manipulação e armazenamento de alimentos, problemas estruturais e condições de higiene e de distanciamento recomendadas durante a pandemia de Covid-19.

Os fiscais descartaram produtos vencidos (22,5 quilos de salsichão e salsicha)em uma filial da rede Supermarket de Campo Grande e quatro quilos de muçarela fora do prazo de validade em uma loja do Guanabara de Bangu. Além disso, no Supermarket, não havia caixa preferencial com o espaçamento adequado para cadeirantes. Em uma filial do Campeão (Rede Unno) de Campo Grande não havia balança de precisão disponível para os clientes pesarem os produtos e nem

banheiro com pia, sabonete e papel toalha, conforme decreto do Governador Wilson Witzel para o combate ao coronavírus. Essas três lojas e a filial do Prezunic do Pechincha foram autuadas pela constatação de problemas estruturais como ferrugem nas câmeras frigoríficas, ralos não sifonados e pisos irregulares. Os quatro estabelecimentos terão que apresentar documentação referente aos preços praticados nos últimos meses por não ter sido possível fazer a comparação  das notas fiscais no momento da vistoria.

Outro supermercado autuado foi o Campeão (Rede Unno) da Abolição, onde os fiscais verificaram que havia diferença entre o valor do serviço de moeção de um tipo de carne para o outro (R$3,00 para moer o acém e R$ 5,00 para moer a alcatra) o que demonstra cobrança manifestadamente excessiva, já que se trata do mesmo serviço.

Apesar de nas lojas dos supermercados Guanabara de Bonsucesso, Supermaket da Ilha do Governador e Mundial da Praça da Bandeira não terem sido constatados problemas estruturais ou com os cuidados de higiene e de regras de distanciamento, eles têm 48 horas para apresentar as notas fiscais de

compra e venda dos produtos a partir de fevereiro de 2020 para que seja apurada a eventual abusividade dos preços praticados.


Locais Fiscalizados:

1. Supermarket – Rua Augusto de Vasconcelos, 1.273 – Campo Grande – Rio de Janeiro

2. Mundial – Rua do Matoso, 60 – Praça da Bandeira – Rio de Janeiro

3. Rede Unno Campeão – Estrada do Mendanha, 264 – Campo Grande – Rio de janeiro

4. Supermarket – Rua Capitão Barbosa, 818 – Ilha do Governador – Rio de Janeiro

5. Guanabara – Avenida Ministro Ary Franco, 80 – Bangu – Rio de Janeiro

Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil