• Andressa Gonçalves - Estudante de Design de

CINEnews | A primeira impressão que fica é: 'que Minissérie de tirar o fôlego!'


“É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro, em posse de grande fortuna, deve estar procurando uma esposa.” - essa é a célebre frase que inicia o grande clássico Orgulho & Preconceito, escrito e concluído por Jane Austen em 1797. Também é esta a frase que inicia uma de suas adaptações televisivas mais conhecidas, produzida pela BBC e lançada em 1995.

O foco de nossa coluna, como você bem sabe, são os filmes, mas quando uma série é tão bem produzida que seus episódios mais parecem pequenos filmes, ela também merece destaque aqui. Por isso, nesta semana, em caráter especial, indicaremos a minissérie a seguir:

Orgulho e Preconceito, minissérie homônima à obra em que foi inspirada, é composta por 6 episódios de 55 minutos cada, foi produzida por Sue Birtwistle e dirigida por Simon Langton.

Uma das características que mais chama a atenção nesta adaptação é sua veracidade histórica, desde os penteados femininos, aos calçados de todos os personagens, podemos observar total coerência com os costumes e a época em que o livro fora escrito.

Tal cuidado é raro em adaptações cinematográficas; por exemplo, no filme Orgulho e Preconceito de 2005, que se baseou mesma obra de Austen, vemos em uma de suas cenas a personagem principal, Elizabeth Bennet, de cabelos soltos, comportamento esse inexistente no livro e que seria totalmente impróprio e chocante para a época.

Outro ponto que conta a favor da adaptação de 1995 é a preservação de mais de 80% dos diálogos originais, sem interferências ou cortes. Isso fornece ao espectador um contexto histórico incrível, uma verdadeira aula de história e agrada também aos fãs da autora que, finalmente, podem ver seus personagens preferidos saindo dos livros exatamente da forma que eles os imaginavam.

É claro que mesmo assim percebemos várias alterações, afinal, estamos falando de uma adaptação, mas a proximidade à obra original fica bem evidente o tempo todo, talvez sendo por isso que esta, é considerada a versão preferida dentre os fãs da escritora inglesa.

Os atores também foram muito bem escolhidos, um grande destaque aqui é o icônico Benjamin Whitrow, que interpreta Mr. Bennet, o patriarca da família principal da trama. No livro, ele é descrito como um personagem inteligente, de humor extremamente sarcástico muitas vezes beirando até o rude e é exatamente isso que Benjamin Whitrow nos entrega em sua estrondosa interpretação. Em todas as outras adaptações de Orgulho e Preconceito, não conseguimos encontrar um Mr. Bennet tão expressivo e que faça mais jus ao personagem original que o de Whitrow.

Inclusive essa parece ser uma constante na versão da BBC, os personagens nos parecem mais tangíveis, mais verdadeiros, mais em contato com sua própria essência. Para aqueles que precisam por algum motivo, seja ele lazer ou acadêmico, compreender melhor esta obra de Jane Austen, não há adaptação melhor do que essa para auxiliá-lo nisso.

Tudo que Jane escreveu no livro de forma sutil quase imperceptível, esta adaptação traz à luz, sem perder a calma, mas de uma maneira um pouco mais intensa, para que qualquer espectador possa entender bem a estória que está sendo contada. Isso pode ser percebido, por exemplo, nas cenas com a Mrs. Bennet. No livro, fica implícito que ela possuía um comportamento inadequado e expansivo, mas em Orgulho e Preconceito de 1995, fica claramente evidente o porquê.

Esta é daquelas obras-primas que vale a pena assistir várias e várias vezes seguidas, em família, entre amigos ou até mesmo sozinho. Está cansado da rotina? Então aproveita o fim de semana para assistir esta minissérie fantástica e ser transportado para um mundo totalmente diferente, regido por muito decoro, costumes, orgulho e preconceitos.

Andressa Gonçalves é Colunista de cinema por paixão. Estudante de Design de Interiores por opção. E futura jornalista por vocação. Escrevo também para o Expedição Musical, Portal Mais Pop, George Ezra Brasil, Indieoclock e James Bay Brasil. Música e Cinema me fascinam.

Contato: miss.gonc00@gmail.com

#Cinema

Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil