Buscar
  • Leandro Borges - Fisioterapeuta

FISIOnews | Tenossinovite de Quervain ou síndrome de Quervain


A tenossinovite de Quervain é uma inflamação da bainha e dos tendões extensor curto do polegar e abdutor longo do polegar. A dor é próxima a base do dedo polegar, e se palparmos o processo estilóide do osso rádio, que é uma estrutura anatômica lateral e pontiaguda do punho, o paciente vai relatar dor. Poderá apresentar-se também inchada a articulação, com acúmulo de líquido. As mulheres são mais afetadas do que os homens, com maior frequência entre 30 a 50 anos.

É uma doença considerada como LER (lesão por esforço repetitivo), que acomete um grupo de determinadas profissões, utilizando alguns movimentos do punho e também dos dedos, são eles: os digitadores, costureiras, cabeleleiras e pessoas que fazem tricô e crochê.

Normalmente a piora vem na parte da manhã, quando existe um acúmulo de líquido maior local ou no momento em que as articulações são bem exigidas. Com o avanço do problema, o paciente poderá ser incapaz de segurar um copo com água.

Durante o exame clínico, o profissional tem que ficar atento a história clínica e realizar o teste de Finkelstein, se for positivo o paciente vai relatar dor, aumentando os sintomas. Esse teste é feito com a flexão do polegar e de todos os outros dedos, e o profissional irá movimentar passivamente o punho medialmente, em direção a ulna (osso medial do antebraço). Se necessitar de algum exame por imagem, a ultrassonografia poderá ser realizada, podendo confirmar o diagnóstico.

Quais são os fatores desencadeantes da tenossinovite de Quervain?

- Atividades com o punho;

- Durante a gravidez;

- Artrite reumatóide;

- Hipotireoidismo;

- Trauma direto;

- Pós parto;

- Diabetes;

- Gota.

No caso de dor aguda, o repouso é indicado, evitando os movimentos repetitivos com o punho e dedos, uso de gelo para aliviar as dores, diminuir o processo inflamatório e o edema.

Se persistir, a fisioterapia é de grande importância, pois os recursos fisioterapêuticos são extensos para aliviar a dor do paciente, restabelecer os movimentos, através de exercícios ativos e passivos, pois os músculos ficarão fracos e encurtados por desuso. A manutenção da amplitude articular tem que ser restabelecida. Outro recurso bastante utilizado, principalmente no meio do esporte, é o uso de bandagem elástica funcional, o que poderá trazer alguns benefícios.

Caso necessite de cirurgia, é realizada uma anestesia local, com o objetivo de aumentar o espaço entre a bainha e os tendões, aliviando a pressão e facilitando o deslizamento dos tendões dentro desse espaço.

Leandro Borges é Fisioterapeuta e Instrutor de Pilates, Pós-graduado em Traumato-ortopedia com ênfase em Terapias Manuais.

Contato: 99550-9212 ( whatsapp )

Email: leandrorjfisio@hotmail.com

Blog do Facebook: Fisiot. Leandro Borges

#Fisioterapia

0 visualização
Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil