• Frederico Ramos - Psicólogo

PSICOnews | O monstro da depressão


Ao caro leitor, quero proporcionar uma brevíssima reflexão sobre um dos males que mais nos chama a atenção nos dias atuais. A depressão.

Ao contrário do título da nossa coluna, é fundamental entendermos a depressão enquanto uma doença séria, complexa e acima de tudo, passível de tratamento.

A depressão não é nenhum monstro, não é um bicho de sete cabeças e muito menos falta de caráter ou falta de força de vontade.

Por outro lado, não devemos também nos contentar com qualquer explicação reducionista do tema. E digo isso com um propósito muito claro, pois não canso de ouvir pessoas e até mesmo profissionais da área dizendo que a depressão é apenas uma doença química, como por exemplo.

Sendo assim, é evidente que não concordo com este posicionamento, até mesmo por entender que a doença aqui em questão vai muito além disso tudo.

A maneira como o indivíduo aprende ao longo da vida, a expressar suas emoções, seus sentimentos, a construir sua personalidade, reproduzir valores, normas sociais e culturais, demonstra que somos seres complexos e que precisamos, acima de qualquer coisa, da presença do olhar amoroso do outro, espelhada na relação humana de troca sincera, fundamental em nossa existência.

O pai da psicanálise, Dr. Sigmund Freud, já notava em sua época que, o cuidado essencialmente amoroso com a criança, era uma espécie de ingrediente indispensável para se construir um adulto forte e resiliente perante as adversidades do mundo.

Costumava assim dizer que o amor parecia ser capaz de produzir um funcionamento neurológico mais saudável, através de trocas sinápticas mais eficientes, dando origem assim a um melhor desenvolvimento orgânico.

Além de todas estas questões, defendo também a idéia de que devemos olhar a depressão sob a ótica do "macro"(macrocosmo), estabelecendo portanto um ponto de partida para a investigação científica e levando em consideração o fator mesológico em sua totalidade.

O desafio que parece se estabelecer para toda a comunidade científica atual não é nada simples. Em todo o globo terrestre podemos observar um aumento gradual do número de casos de depressão e de mortes prematuras por doenças associadas ao transtorno.

Para que possamos atualizar o caro leitor e seguidor do nosso canal, estima-se que em 2020 a depressão será a principal e mais incapacitante doença responsável pela maior causa de afastamentos dos postos de trabalho. São ao todo 120 milhões de casos no mundo atual e 17 milhões apenas no Brasil de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

A título de uma mórbida curiosidade, 850 mil pessoas morrem por ano em decorrência da doença, sendo 2.300 por dia ou 3 pessoas a cada 2 segundos.

Parafraseando um renomado professor de psiquiatria pelo qual nutri especial apreço e admiração, deixo aqui uma afirmativa que parece resumir o nosso pensamento: " Para todo sistema complexo há sempre uma solução simples.. E errada."

Pensemos portanto, como poderemos atuar positivamente em nossa sociedade, na construção de iniciativas pessoais, de políticas públicas e educacionais para enfrentar este grande problema de maneira firme e coerente.

Para dar aquela ajudinha, deixo aqui a minha humilde contribuição, com algumas dicas importantes para o exercício do pensamento e da reflexão sobre a doença:

1. Depressão não é frescura mas sim uma doença.

2. Não existe tratamento milagroso e rápido para a depressão. Por isso, desconfie das soluções mágicas e aparentemente simples.

3. Depressão e tristeza são coisas diferentes. Caso esteja em dúvida ou sinta alguma tristeza mais prolongada, procure ajuda de um médico e de um psicólogo.

4. Depressão não se cura apenas com força de vontade.

5. Fique atento aos principais sinais na sua saúde, tais como insônia, falta de desejo, apatia, queda da produtividade, alterações no apetite e mudanças bruscas de humor.

6. Esteja atento a sua vida emocional e procure não evitar enfrentar seus sentimentos, pois a dor que não dói na hora que tem que doer, vai doer mais tarde.

7. Pense positivo e procure sempre um outro ângulo de avaliação perante um problema na vida.

8. Ter depressão não é culpa sua. Encare a situação como uma outra doença qualquer.

9. Focalize sua vida dando prioridade ao momento presente. Isso vai ajudar no processo de recuperação.

10. E lembre-se acima de tudo que liberdade, autenticidade e felicidade são palavrinhas super especiais e que andam de mãos dadas.

Aos amigos que desejam saber mais sobre o assunto, recomendo o livro entitulado em português: " Perto das trevas" do renomado autor norte-americano Willian Styron.

Saúde sempre e felicidade para todos! Feliz Páscoa!

#depressão #Psicologia

Clique na imagem para baixar aplicativo da Rádio para celular
image1.jpg
Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2020 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil