Buscar
  • Cristiane Pontes - Enfermeira

SAÚDEnews | Arbovirose Zyca Vírus: Proteja a sua saúde


É uma doença causada pelo Zika virus (ZIKAV), transmitida principalmente por mosquitos, como o Aedes aegypti. Também pode ocorrer de transmissão, da mãe para o filho durante a gestação. Os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente após 3-7 dias, geralmente sem complicações graves. O diagnóstico será feito após avaliação médica e realização de exames. Os sintomas da Zyca são: exantema maculopapular pruriginoso (a pele fica avermelhada e coçando), febre, hiperemia conjuntival sem secreção e prurido (olho avermelhado sem secreção e sem coceira), Poliartralgia (dores nas articulações, que geralmente são mais intensas que na dengue), Edema periarticular (inchaço nas articulações).

Edema em articulações:

Não se recomenda utilizar medicamentos sem prescrição médica e deve ser evitado o uso de ácido acetilsalicílico e outros anti-inflamatórios, em função do risco aumentado de complicações hemorrágicas.

Hiperemia Conjuntival:

A microcefalia relacionada ao vírus Zika é uma doença nova, que está sendo descrita pela primeira vez na história, com base nos casos que ocorreram no Brasil. Existe uma atenção especial às gestantes para evitar a infecção pelo vírus Zika, devido a associação com os casos atuais de microcefalia em recém-nascidos. A gestante deverá ter o cuidado para não entrar em contato com o mosquito Aedes aegypti durante todo o período da gestação.

A microcefalia é uma malformação congênita (congênito= que surge no nascimento ou antes, durante a gestação)em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Ao nascimento, os bebês com suspeita de microcefalia serão submetidos a exame físico e medição do perímetro cefálico.É caracterizada por um perímetro cefálico inferior ao esperado para a idade e sexo.A ocorrência de microcefalia, por si só, não significa que ocorram alterações motoras ou mentais. O diagnóstico será feito pelo médico.

A proteção/prevenção para toda a população deve ser realizada através de medidas de controle: • Eliminação de possíveis criadouros do mosquito Cobrir, esvaziar ou limpar os potenciais locais de reprodução de mosquitos nas casas e em volta delas, tais como baldes, tambores, potes, calhas e pneus usados. • Limpeza dos terrenos • Descarte apropriado do lixo e materiais • Utilização adequada da água • Permanecer em locais com barreiras para entrada de insetos, preferencialmente locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis.

Proteção individual: Prevenção à picada de mosquitos, usar roupas compridas calças e blusas sempre que possível e áreas do corpo expostas, usar repelente.

Evitar horários e lugares com presença de mosquitos.

Os produtos comumente utilizados no combate e/ou no controle da população do mosquito Aedes aegypti são: Inseticidas: indicados para matar os mosquitos adultos. Os inseticidas possuem substâncias ativas que matam os mosquitos e componentes complementares.

Repelentes: apenas afastam os mosquitos do ambiente, podendo ser encontrados na forma de espirais, líquidos e pastilhas.

Consultar o profissional da Saúde sobre o uso de repelentes e verificar atentamente no rótulo a concentração do repelente e definição da frequência do uso para gestantes.

Repelentes ambientais e inseticidas também podem ser utilizados em ambientes frequentados por gestantes, desde que estejam devidamente registrados na ANVISA e que sejam seguidas as instruções de uso descritas no rótulo.Em crianças observar a idade mínima definida pelo fabricante e sempre conversar com o pediatra.

Os repelentes utilizados em aparelhos elétricos ou espirais não devem ser utilizados em locais com pouca ventilação nem na presença de pessoas asmáticas ou com alergias respiratórias. Podem ser utilizados em qualquer ambiente da casa, desde que estejam, no mínimo, a dois metros de distância das pessoas. Repelentes “naturais” à base de citronela, andiroba, óleo de cravo, velas, odorizantes de ambientes, limpadores e incensos, que indicam propriedades repelentes de insetos, não possuem comprovação de eficácia nem a aprovação pela ANVISA.

Não há medicamentos aprovados com a finalidade de repelir insetos. A Tiamina ou Vitamina B não apresenta eficácia comprovada como repelente e esta indicação de uso não é aprovada pela ANVISA. Usar somente produtos que estão devidamente regularizados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

O SUS está preparado para o atendimento a pacientes com os sintomas descritos. Procure um posto de saúde aos primeiros sinais. Não há vacina contra o vírus Zika.

#Arbovirose #Zyca #Vírus

0 visualização
Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil