Buscar
  • Leandro Borges - Fisioterapeuta

FISIOnews | Já sentiu dor e formigamento na mão? Podemos estar falando de um problema comum


A mão é formada por 27 ossos que são divididos em três partes: carpo, metacarpo e falanges. O carpo é constituído por oito pequenos ossos que se articulam uns com os outros. O metacarpo é formado por cinco ossos iguais, de forma alongada, que se articulam de um lado com os ossos do carpo e do outro com as falanges. As falanges são três em cada dedo, com exceção do polegar, que só possui duas. A articulação do punho ou articulação rádio-cárpica é formada pela extremidade distal do rádio com a 1ª fileira do carpo, exceto o osso pisiforme.

Alguns músculos colaboram para manter a mão esticada (músculos extensores da mão). Um deles, o extensor dos dedos, é responsável pelo extensão simultânea dos dedos indicador, médio e anular. O mínimo apresenta uma característica especial, possui um músculo extensor exclusivo (músculo extensor do dedo mínimo).

O indicador, além do polegar, é o único dedo que pode ser movimentado em grande amplitude sem interferir no movimento dos outros três dedos. Isso é explicado pelo fato de existirem pequenas faixas fibrosas que unem os tendões exteriores do médio, anular e mínimo. Por esse motivo, não se consegue esticar completamente esses dedos, quando um deles é mantido dobrado.

O ato de dobrar os dedos isoladamente implica em certas dificuldades. Dois grupos de músculos (flexores superficiais e profundos) são encarregados dessa função. O flexor profundo apresenta um tendão comum para os dedos médio, anular e mínimo, enquanto o superficial tem tendões isolados.

A mão é um importante instrumento de trabalho, realizando inúmeras funções. Nos dias atuais, com a influencia do computador e celular, e de outros fatores de risco, as doenças ocupacionais, estão tendo mais destaque, em especial a LER (lesão por esforço repetitivo), que é o nome dado à síndrome causada pela execução de tarefas repetitivas e contínuas, como digitar, fazer tricô, jogar tênis ou dirigir. A postura incorreta durante a execução das atividades diárias também pode levar ao surgimento de lesões que estão relacionadas, principalmente às atividades ocupacionais.

O túnel do carpo é um túnel ou canal na região do punho com o diâmetro aproximado de um dedo polegar. O seu assoalho são os ossos do punho e seu teto é o ligamento carpal transverso. Dentro do túnel do carpo passam os 9 tendões responsáveis pelos movimentos dos dedos e o nervo mediano, responsável pela inervação da parte externa das mãos.

A síndrome é causada pela compressão do nervo mediano que passa por um canal estreito no punho chamado de Túnel do Carpo. A compressão é causada pelo aumento das estruturas que passam pelo túnel ou pelo seu espessamento.

A dor piora a noite, principalmente após uso exagerado das mãos durante o dia e pode ser intensa a ponto de acordar a pessoa. É uma dor que pode irradiar para o braço e para o ombro.

A diminuição da sensibilidade dos dedos, traduzida por dormência ou formigamento, acomete a palma da mão e poupa o dedo mínimo e o dorso da mão. Sendo mais comum em mulheres na faixa etária dos 30 aos 60 anos e pode ser bilateral em 50-60% dos casos.

Os principais sinais e sintomas da síndrome do túnel do carpo incluem:

• Dificuldade no movimento de pinça, • Dor no punho ou na mão, de um ou dos dois lados, se estender até o cotovelo, • Atrofia do músculo sob o polegar em casos avançados, • Fraqueza na mão, • Dormência da palma da mão, polegar, dedo indicador, dedo médio e do lado do dedo anular mais próximo do polegar, • Percussões leves sobre nervo mediano no punho que podem provocar dor do punho à mão, • Dobrar o punho totalmente para frente por 60 segundos, geralmente causa dormência, formigamento ou fraqueza.

Existem diversas causas que levam à síndrome do túnel do carpo, sendo que a principal é a resultante de movimentos repetitivos como digitar ou tocar instrumentos musicais.

Dentro do grupo de etiologias encontramos também, a gravidez, que não está bem claro exatamente o motivo, mas é comum durante a gravidez. No entanto, muitos casos se resolvem depois que o bebê nasce. Não se sabe se as mulheres que têm a síndrome do túnel do carpo durante a gravidez estão em maior risco de desenvolver a doença no futuro.

O trabalho manual, principalmente com instrumentos ferramentas vibratórias pode levar a essa síndrome. Causas traumáticas (quedas e fraturas), inflamatórias (artrite reumatóide), hormonais (diabetes mellitus e doenças da tireóide), medicamentosas e tumorais.

O diagnóstico é estabelecido com o auxilio de dois testes: o teste de Phalen e o teste de Tinel. O primeiro é feito dobrando-se o punho, mantendo-o fletido durante um minuto. Isso leva ao aumento da pressão, caso haja compressão do nervo, os sintomas intensificam-se.

O teste de Tinel é realizado percutindo-se o nervo mediano. Em casos de comprometimento, a sensação de será de choque e formigamento. Em certas situações faz-se necessária a realização de uma eletroneuromiografia para concluir o diagnóstico.

Como é o teste para a síndrome do túnel do carpo?

Dicas em casa e no trabalho:

• Faça pausas rápidas de atividades repetitivas envolvendo o uso de suas mãos, • Evite dormir em suas mãos para ajudar a aliviar a dor ou dormência nas mãos e punhos, • Reduza o número de movimentos repetitivos do punho sempre que possível, • Estique o braço e dobrar a mão para trás, puxando os dedos para trás com a outra mão para alongar. O alongamento pode aliviar a compressão do túnel carpal, e pode diminuir a compressão nervosa, além de melhorar o fluxo sanguíneo ao nervo , • Outra forma eficaz de se promover alívio do quadro álgico na fase aguda é a crioterapia . Seu efeito analgésico é proveniente da combinação da alteração da transmissão neural (que fica diminuída), redução do espasmo muscular, • Já na fase crônica a adição de calor, na forma de aplicação superficial , é um excelente recurso terapêutico, pois melhora o metabolismo e a circulação local, aumenta a elasticidade do tecido conectivo, relaxa a musculatura e induz a analgesia, • Algumas vezes se torna necessário o uso de tala no pulso, usada para apoiar o pulso e mantê-lo em uma posição neutra, • Se a dor, dormência ou fraqueza persistir, consulte um fisioterapeuta.

A identificação e a eliminação das condições que geram dor, tais como processo inflamatório generalizado, espasmo muscular mantido, posturas antálgicas, alterações funcionais e estruturais do aparelho locomotor, contribuem para a eficiência da reabilitação.

Para a reabilitação funcional do aparelho locomotor as medidas fisioterapêuticas são fundamentais. Os procedimentos fisioterapêuticos proporcionam alívio sintomático da dor, redução do uso de fármacos, diminuição da inflamação, relaxamento muscular, prevenção de deformidades, reabilitação da função motora e redução do sofrimento tecidual.

A abordagem fisioterapêutica, vem sendo na medida do possível, de grande auxilio. A ginástica laboral, como ferramenta preventiva, é utilizada por algumas empresas, e gerando um bem estar no ambiente de trabalho.

Quando o tratamento fisioterapêutico não resolve, deve-se realizar a cirurgia para cortar um pedacinho do ligamento e aumentar o espaço em que o nervo mediano passa.

Leandro Borges é Fisioterapeuta e Instrutor de Pilates, Pós-graduado em Traumato-ortopedia com ênfase em Terapias Manuais.

Contato: 99550-9212 ( whatsapp )

Email: leandrorjfisio@hotmail.com

Blog do Facebook: Fisiot. Leandro Borges

#Fisioterapia #TúneldoCarpo #Formigamento

208 visualizações
Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil