• Juliana Manes - Veterinária

PETSnews | Quando o assunto é Leucemia Felina...Vacinar é a saída!


O que é o vírus da leucemia felina? O vírus da leucemia felina (FeLV) é o responsável por uma das doenças infecciosas mais comuns nos gatos. O percentual de gatos infectados varia conforme a idade, saúde, ambiente, e estilo de vida. Gatos jovens e filhotes, os que têm acesso à rua, e aqueles que convivem com outros gatos que tenham acesso à rua e que possam transmitir o vírus correm mais risco de infecção.

No Brasil, estima-se que 10% a 12% dos gatos estejam infectados e a prevalência pode subir para mais de 30% em animais com estilo de vida de alto risco. O FeLV enfraquece o sistema imunológico do gato impedindo que ele se defenda de outras infecções.

ATÉ 1/3 DOS GATOS EXPOSTOS AO RISCO ADQUIREM O FeLV!!!

Como os gatos se infectam com o FeLV? O contato dos animais sadios com os doentes é a principal forma de infecção. O FeLV está presente na saliva, secreções nasais, urina, fezes, e sangue dos animais infectados e é transmitido para gatos saudáveis durante o contato entre eles. As tigelas de comida e de água compartilhadas podem ser fontes de infecção. Os gatos podem adquirir o vírus de mães infectadas quando ainda estão no útero ou durante a amamentação.

Assim que o vírus infecta um gato, ele se multiplica e invade a corrente sanguínea. A partir daí a infecção pode ter diferentes caminhos dependendo da eficácia do sistema imunológico em combater o vírus, são eles:

1. Em alguns casos, o vírus é combatido com sucesso e não terá sintomas; 2. Em outros, ele se esconde em tecidos corporais e não provoca sinais imediatos da doença; 3. E, finalmente, em outra parcela de gatos, ele se espalha pelo corpo e causa uma doença grave.

O FeLV NÃO REPRESENTA RISCO PARA OS SERES HUMANOS OU PARA OUTROS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO, POIS INFECTA SOMENTE GATOS!!!

Quais são os sinais da infecção pelo FeLV? Alguns gatos não têm sinais da doença logo após a infecção, mas irão se tornando mais fracos (imunodeprimidos) em questões de semanas, meses ou até anos quando passam a apresentar uma grande variedade de sinais inespecíficos, como, por exemplo, pelagem sem brilho, pelo quebradiço, infecções cutâneas e respiratórias, problemas oculares, fraqueza, e muitos outros.

OS SINAIS MAIS COMUNS INCLUEM: FEBRE, PERDA DE APETITE, PERDA DE PESO, DIARRÉIA, INCHAÇO NOS GÂNGLIOS LINFÁTICOS, GENGIVAS PÁLIDAS OU INFLAMADAS.

Como se faz o diagnóstico do FeLV? Os veterinários podem determinar se o gato está infectado com o FeLV através de um exame simples que utiliza algumas gotas de sangue. Devido ao fato de muitos gatos não mostrarem sinais de que estão com a doença apesar de infectados, é sempre importante examinar TODOS os gatos que não foram anteriormente examinados.

Quem deve ser testado? 1. Todos os gatos pelo menos uma vez; 2. Todos os filhotes; 3. Qualquer gato novo que seja introduzido na casa; 4. Gatos doentes; 5. Gatos com sinais de doenças associadas ao FeLV; 6. Gatos com estgilo de vida de alto risco; 7. Gatos não vacinados antes de serem vacinados.

O meu gato corre risco de infecção? Se você responder SIM a pelo menos 1 das perguntas abaixo, converse com seu veterinário sobre as medidas preventivas que podem ajudar a proteger o seu animal de estimação da infecção pelo FeLV.

Seu gato ainda é um filhote? Ele tem acesso à rua? Briga com outros gatos? Vive em uma casa onde fica frequentemente exposto a outros gatos? Tem contato próximo com outros gatos? O que eu faço se meu gato se infectar?

O tratamento adequado e uma dieta nutritiva podem ajudar o seu gato a ficar bem por bastante tempo. A castração é recomendada, pois ajuda a mantê-los dentro de casa reduzindo o risco de estresse e exposição a outras doenças. Visitas frequentes ao veterinário ajudarão a assegurar que os gatos infectados com o FeLV tenham o tratamento que precisam. Os gatos com infecção persistente pelo FeLV podem viver por muitos anos, mas sua expectativa de vida geral se reduz em comparação com os gatos não infectados. Cerca de 80% dos gatos com infecção ativa vem a óbito 3 anos após o diagnóstico.

Como eu posso proteger meu gato da infecção pelo Felv? Evite o contato com gatos que possam estar infectados. A vacinação contra o FeLV está disponível e o seu veterinário poderá ajudar a determinar se o seu gato deve ser vacinado.

A vacinação contra o FeLV é segura? Os gatos têm sido vacinados contra o FeLV há décadas e as vacinas em geral são seguras e bem toleradas. Em raras exceções os gatos podem apresentar febre, apatia, ou sensibilidade no local de aplicação que, geralmente, desaparecem bem rápido.

Os benefícios da proteção de um gato contra a doença grave e letal associada à infecção pelo FeLv são muito superiores aos riscos da vacinação.

A LEUCEMIA VIRAL FELINA NÃO TEM CURA, PORTANTO DIAGNOSTICAR OS POSITIVOS, ISOLÁ-LOS E VACINAR SISTEMATICAMENTE OS NEGATIVOS É FUNDAMENTAL PARA CONTROLAR O AVANÇO DA DOENÇA!!!!

Juliana Manes é Médica veterinária formada pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2006), Pós graduada em clínica médica e cirúrgica de pequenos animais (2007), Curso de atualização em medicina felina (2015), Proprietária da Veterinaria Sulacap desde 03/05/2010.

Contatos: 3357-9933/ 3253-1449 / 96439-8215 (WhatsApp) Facebook: Juliana Manes Página Facebook: Veterinária Sulacap

#Pets #VeterináriaSulacap #LeucemiaFelina

Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil