© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil

  • Andressa Gonçalves - Estudante de Design de

CINEnews | “Diga-me de que Música És Feito, e Eu Te Direi Quem És”


É verdade que a trilha sonora da vida real é muito menos sofisticada que a do cinema. Ela é composta principalmente pelo barulho de pássaros ou cigarras cantando, buzinas irritadas, chuvas caindo impiedosamente, trovões, dentre, é claro, outros eventos..

Ainda que eu, particularmente, aprecie bastante alguns destes sons (mais precisamente a um desses sons, o dos pássaros), eu adoraria que, por exemplo, em momentos alegres começasse a tocar Luck Be A Lady do Frank Sinatra.

Não seria interessante? Tocar apenas para você, do nada, uma música que você goste bastante e que combinasse com seu estado de espírito do momento? Você já parou para pensar em qual seria a trilha sonora da sua vida?

Música além de arte é influência. Influência em como seus ouvintes se sentem ao terem contato com ela e em como eles irão encarar o mundo nesse exato instante. No filme Mesmo Se Nada Der Certo, de 2014, há um diálogo muito interessante sobre o assunto:

Senhoras e senhores, eu lhes apresento o tema da semana: Trilha Sonora e Sua Importância! Então embarque comigo nesta aventura que começa a seguir.

Sentir Pelos Ouvidos:

Antes de mais nada, eu devo perguntar: Caro leitor, você ouviu a música acima antes de ler a continuação da matéria? Não? Se possível, por favor ouça, pois o que vem a seguir fará mais sentido.

Bem, agora que você já ouviu a música, outra pergunta: O que você sentiu ao escuta-la? Uma sensação de aventura? De que algo está prestes a mudar e até mesmo de libertação?

No parágrafo anterior, eu havia convidado você a “embarcar comigo nesta aventura”; percebe como encaixou bem minha frase com o sentimento aventureiro que a melodia evoca? É mais ou menos assim que funciona a trilha sonora nos filmes.

Como bons cinéfilos, precisamos desmistificar o mito de que o mais importante em um filme é a direção e seus atores. Para que um filme obtenha resultado satisfatório, convincente, que “remova o telespectador de sua poltrona” e o leve ao universo desejado; uma série de fatores trabalhando em perfeita harmonia é necessário.

Há algumas semanas, falamos sobre um deles, a paleta de cores. Hoje falaremos sobre outro tão importante quanto.

Banda Sonora: Sua Importância e Significado:

As imagens são capazes de nos transmitir muitos sentimentos, como dor, alegria, medo e outros, mas é uma boa trilha sonora que dá profundidade às cenas e cria a “tensão” perfeita para que não apenas entendamos o que está sendo mostrado, sintamos.

Imagine que uma cena é como o belo topo de uma montanha. Você supõe que seja lindo lá em cima, mas a árdua escalada te desanima um pouco a subir. Contudo, chegando um pouco mais perto do cume, você começa a ver a paisagem ao seu redor mudando e isso o estimula a continuar e te deixa mais curioso para ver como é lá em cima. Seu objetivo é estar no topo, mas é enquanto chega lá que a expectativa, a ansiedade, e esse sentimento de “vai valer a pena” é criado, é assim também que a trilha sonora funciona.

Já em seus primórdios, no século XIX, os grandes mestres do cinema mudo perceberam a importância do som em suas obras e, por isso, convidavam orquestras inteiras ou alguns músicos para tocarem canções ao vivo, enquanto seu filme era exibido.

Em cenas de comédia, eram tocadas músicas mais agitadas, muitas vezes com o uso de clarinete, que criavam no expectador a sensação do riso. Em cenas mais tristes, eram apresentadas melodias mais lentas e longas, com predominância de piano e violino, que traziam a sobriedade e o “peso” que algumas cenas necessitavam.

Esse método de escolha, embora mais desenvolvido e evoluído, continua sendo usado até os dias de hoje. Um bom exemplo da escolha acertada no quesito trilha sonora, pode ser conferido na cena final do filme “E O Vento Levou...” de 1939 (Atenção: se você não assistiu ao filme e não gosta de spoilers, é melhor evitar a cena abaixo):

Dá para perceber que durante todas as falas dos personagens, por ser um momento de despedida, a música é mais lenta e constante, sem alterações bruscas, conferindo ao diálogo um ar de melancólico e triste que se fazem aí fundamentais.

Que fã de Star Wars não lembra do tema tocado toda vez que o vilão Darth Vader aparece? E quem não lembra da clássica performance da música Johnny B. Goode por Michael J. Fox em De Volta Para O Futuro? A trilha sonora engloba, no geral, todos os sons que existem em um filme, desde sons ambientes á canções memoráveis. Os sons ambiente (portas batendo, chaves caindo em uma mesa, dedos estalando) geralmente são gerenciados pela parte de sonoplastia e são responsáveis por trazer maior realidade à obra, sua quantidade e intensidade serão ditados pela necessidade de dramática da cena em questão.

Citando o site Cultura Pop, alguns dos principais compositores de todos os tempos são:

Bernard Hermann: Criador do tema de Psicose e diversos outros clássicos de Alfred Hitchcock, ele fez história no cinema. Foi criador também de outros temas icônicos como a trilha de Cidadão Kane e a música “A Nice Piece For An Orchestra” do filme Taxi Driver.

John Williams: Sem dúvida um dos maiores nomes no quesito trilha sonora. Com 48 indicações ao OSCAR, ele assinou composições da trilha sonora de filmes como E.T. – O Extraterrestre, Tubarão dentre muitas outras. Porém a trilha que leva sua assinatura e é considerada a mais memorável é a de Star Wars (todos os sete filmes).

Nino Rota: Sem dúvida a principal composição do italiano para o cinema é o tema de O Poderoso Chefão, adorado até hoje pelos fãs assim como o filme. Mas ele não para por ai, Romeu e Julieta e A Doce Vida também têm trilha do italiano.

Hans Zimmer: Foi uma animação que consagrou esse outro monstro das trilhas sonoras. O Rei Leão deu a ele o merecido OSCAR. Mas fora das animações outras grandes produções fazem parte da sua lista de composições, como Gladiador, Pearl Harbor, Piratas do Caribe, Batman-O Cavaleiro das Trevas e A Origem. Até agora foram mais de 100 trilhas assinadas por Zimmer.

Silêncio e Luz

Mas, nem só de música vive o homem, na verdade, ás vezes o que ele precisa é exatamente o contrário.

Para criar tensão ou impacto dramático, os diretores utilizam-se também do recurso de deixar o longa sem som por alguns segundos ou até mesmo minutos! O silêncio toma conta do espaço para incentivar o espectador a refletir sobre o que acaba de assistir ou o que vem a seguir.

Geralmente esses momentos são seguidos de música intensa e por vezes alta, para atingir com ainda mais precisão o efeito pretendido.

Um filme que utiliza essa técnica de forma muitíssimo inteligente é 2001: Uma Odisseia No Espaço. Com ‘silêncios’ que duram bastante, sons impactantes e pouquíssimas falas humanas, o filme é um verdadeiro convite a introspecção e contemplação do tema em pauta. A trilha sonora (ou a falta dela, em alguns momentos) ganha papel importantíssimo no longa, confira seu trailer abaixo:

E vocês cinéfilos? Alguma banda sonora já os impactou? Lembram de alguma que é inesquecível? Compartilhem conosco!

Espero que tenham curtido a pauta da semana, no mundo da música dentro das telinhas, até a próxima e não esqueçam de votar na nossa enquete sobre sua preferência por filmes legendados ou dublados AQUI.

“Você pode dizer muito sobre uma pessoa olhando sua playlist.”

Andressa Gonçalves é futura jornalista. Como adora cinema, sempre pesquisa sobre paletas de cores, trilhas sonoras, curiosidades, e tudo o que pode sobre este universo. Mantém também o projeto bilíngue Expedição Musical, que toda semana apresenta ao grande público novos talentos do cenário musical.

Contato: miss.gonc00@gmail.com

Fontes de Apoio:

http://you-just-a-broken-angel.tumblr.com/image/105267435459

https://siteculturapop.wordpress.com/2016/07/12/a-importancia-da-trilha-sonora/comment-page-1/.

#TrilhaSonora #Cinema