Buscar
  • Valcir Ramos - Economista

GESTÃOnews | Organizando seu orçamento


Para que você possa elaborar e projetar um Orçamento Familiar você deverá conhecer bem suas finanças, listar todas as entradas e saídas mensais, ou seja, todas as receitas e despesas da família além de dívidas e empréstimos a pagar.Deverá também definir todos os seus objetivos e projetos para o curto, médio e longo prazos (vide artigo de 18/11/17) para poder quantificar os recursos que serão comprometidos.

Para melhor facilitar o controle, você deverá classificar/agrupar suas despesas por “natureza”. Isso facilitará no gerenciamento dos desembolsos e análise dos gastos.

Exemplificando, você terá o grupo de “Alimentação”, o de “Educação”, o de “Diversão”, o de “Farmácia”, o de “Passagens/Locomoção”, o de “Combustíveis/Manutenção” do veículo, o de “Higiene”, o de “Comunicação”, etc. Dentro de cada um desses, você deverá listar as despesas que neles se enquadram. Quanto mais específicos forem melhor será para a análise e controle. Se o seu orçamento “apertar” ou se as receitas forem menores que as despesas, ficará muito mais fácil para você focar nos grupos que lhe tragam menor impacto caso sofram “cortes” necessários ao ajuste. Por isso, provavelmente, será muito mais coerente “cortar” no grupo de “Diversão” do que no de “Alimentação”, isso sem excluir a possibilidade de que possa ser até necessário reduzir a “qualidade” da alimentação para poder fechar o orçamento (só os humanos e os “não-políticos brasileiros”sabem que essa possibilidade poderáexistir).

Caso você tenha dívidas atrasadas procure urgentemente o seu credor para equacioná-las. Negocie mas tendo em mente que “você” definirá o quanto “pode pagar”. Só fechar negociações com valores que efetivamente caibam em seu orçamento e que você conseguirá realmente cumprir.

Lembre-se que o seu credor quer receber o que você lhe deve. Ele está disposto a ajudá-lo a pagar sua dívida para poder voltar a vender para você. Ele prefere cedere receber, mesmo que apenas parte, do que brigar e perder um cliente.

Porém, para saber o “quanto” cabe em seu orçamento você precisará “ter um orçamento”. Ao negociar com seu credor, demonstrando interesse em pagar o que deve, você poderá conseguir descontos significativos e a facilitação de parcelamentos que efetivamente se encaixarão na sua capacidade de pagamento. Negocie, defina o quanto pode pagar, mas PAGUE! Não deixe de cumprir o que for acertado. Outros valores que deverão ser considerados são os desembolsos inerentes a consecução dos “objetivos de vida” e, por consequência, a “poupança” necessária para esses planos.

A partir das receitas e despesas/dívidas listadas, monte um orçamento realista (receitas/ despesas/ dívidas/ projetos futuros/ poupança) considerando o saldo disponível no início do período, entradas e saídas no período (recebimentos e pagamentos), projetando o saldo final que será o saldo inicial do período seguinte. Sugiro que no primeiro ano essa projeção seja feita por semana, de segunda a domingo, para que toda segunda feira pela manhã você faça o acompanhamento e o fechamento, corrigindo os valores previstos pelos realmente realizados na semana encerrada.

Não tenha dúvida que a melhor ferramenta para essa elaboração é a planilha de EXCEL. Você poderá utilizar também um simples caderno. Não quero te enganar mas, com certeza, a utilização de um papel/lápis para projetar um orçamento soará como desenhar hieróglifos, sobre uma pedra, utilizando-se de martelo e talhadeira. Por isso, mais um projeto a ser incluído no seu planejamento, caso você ainda não esteja qualificado, é aprender a utilizar uma planilha eletrônica (Excel).

É importante ressaltar que esse orçamento deverá ser coerente com o que você ganha, com o que você gasta, com o que você projetou como objetivos de vida e, logicamente, com a poupança necessária. Muitas vezes você concluirá que determinados projetos e “sonhos” não poderão ser realizados como foram inicialmente idealizados.

Por exemplo, a definição do “sonho” de aquisição daquela casa de praia, com piscina e quadra polivalente, em um prazo de 10 anos poderá não caber dentro de seu orçamento sendo, então, necessário rever os conceitos do projeto, resumindo-o a uma casinha de 2 quartos em terreno de 120m2 ou então prorrogar para 23 anos o prazo para a realização do seu projeto original. Mas, como dito acima, você só saberá o que será ou não possível ao projetar um orçamento com todos os dados e parâmetros envolvidos.

Ao montar o seu orçamento você poderá ter que rever muitos dos planos que você projetou para o futuro. O orçamento é quem te dirá a “verdade” do possível. E, principalmente, com ele você poderá definir a “poupança necessária” e a “poupança possível”, que será o combustível necessário a realização dos “sonhos” projetados. Abrindo aqui um “parêntese”, muitas pessoas passam todo o tempo preocupado em como fechará o mês, pagando todas as contas. O foco é único nas despesas. Reserve uma parte desse tempo para se preocupar em como se poderá ganhar mais dinheiro, aumentar as receitas. Isso será fundamental para realizar seus sonhos.

Lembre-se,é importante ficar muito claro a necessidade de “Poupança”. Sem ela você não conseguirá realizar seus projetos de vida. Por isso, nunca gaste tudo o que você ganha. Poupe uma parte e faça isso no primeiro dia em que você receber seu salário. Você poderá iniciar poupando 20% de seu salário. Se for muito reduza para 15%, ou 10%. O importante é começar já. Se conseguir começar com 25% ou mais, ótimo. Definido o orçamento você saberá o valor da poupança mensal necessária e não há o porquê esperar o último dia do mês para realizar seu depósito. Faça-o no mesmo dia que o salário for creditado.

A partir da projeção de seu orçamento consolidado, cujo primeiro ano deverá ser aberto semana por semana, você poderá acompanhar se o seu “realizado” está se comportando como o que foi “previsto”. Somente após a elaboração de uma projeção você terá parâmetros para comparação. Os eventuais desvios devem ser estudados e entendidos para que sejam corrigidos e sirvam de base para aprimorar a projeção que pode ter sido elaborada com incorreções. Portanto, mantenha uma cópia do que foi projetado inicialmente para fazer um comparativo com o que foi efetivamente realizado e, assim, aprender com os “erros” (distorções entre previsto x realizado).

Você já deve ter entendido que “anualmente” a projeção de seu orçamento deverá ser revista, abrindo cada novo ano que se inicia por semanae fazendo eventuais ajustes com a experiência que você irá adquirindo no gerenciamento semanal do realizado no ano anterior.

Em resumo, “Se você não sabe para onde vai qualquer caminho serve”. Mas se você sabe onde quer chegar você conseguirá perceber o que está ocorrendo diferente do planejado, dando-lhe a condição de tomar as necessárias medidas de correção para retornar para o caminho do “norte” traçado.

Pense nisso. Elabore seu Planejamento/Orçamento e comece a poupar.

Valcir Ramos é Economista, pós-graduado pela FGV-RJ em Adm. Financeira, Consultor/Coach na VRamos Consultoria Planejamento Estratégico e Gestão

www.vramosconsultoria.com.br/ (21)98106-8974

#Gestão #orçamento #Economia

0 visualização
Ajude a manter vivo o Jornalismo Local

Pedimos sua contribuição para mantermos um jornalismo profissional, valorizando informações qualificadas, contra fake news e dando voz a nossa região. Somente com seu apoio e ajuda financeira, conseguiremos continuar trabalhando para todos vocês, que confiam na nossa missão.

© 2018 Sulacap News

Jardim Sulacap - Zona Oeste do Rio de Janeiro - Brasil